Make your own free website on Tripod.com
sitio da maconha
receitas a base da erva e efeitos.

HOME

minha *ma* | sobre o rodelinha | a maconha e minha familia | receitas a base da erva e efeitos. | dica sobre o beck. e apelidos. | a maconha nos animais | viagens da maconha | Meu currículo de maconheiro | invasao.... | enquete do cabeça. e site q recomendu | inquetes da 8- c | sauves

receitas da erva

receitas:

Receitinhas:



Chá Ganjóvisk:

- Ferva em 200ml de água seis pontas graúdas de baseado até ficar com uma coloração verde bem forte. Coar e misturar com a mesma parte de vodka. Servir quente para o thc reagir.

Chá de Ganja:

- Ferva em 200ml de água seis pontas graúdas de baseado até ficar com uma coloração verde bem forte. Coar e beber quente.

Manteiga de Maconha:

- Esta manteiga serve para todas as receitas com maconha. 100gr de fumo do bom, 250gr de manteiga. Jogar bem dixavado na panela com a manteiga derretida. Frite por uns 8 minutos sem queimar. Espremer tudo numa peneira. O líquido esverdeado que vai sair é a base para todos os pratos cannabis. Use essa manteiga para fazer bolos, brigadeiros, enfim, tudo. Mas cuidado, pois é violento. (1 colher de chá de manteiga por pessoa já faz um estrago daqueles).

Brigadeiro Hemp:

- Coloque na panela uma colher da "manteiga de maconha", jogue por cima uma lata de leite condensado e duas colheres de sopa de chocolate em pó, mexendo bem até o brigadeiro especial começar a desgrudar do fundo da panela! A alegria é geral! Mas tome cuidado para não passar mal...

Biscoito da massa:

- ¾ de xícara de chá com manteiga de maconha, ¾ de xícara de chá de leite, 5g de maconha dixavada, 1 ovo. Para preparar: Bata tudo por uns 5 minutos e acrescente ¾ de xícara de chá com açúcar, 1 colher de chá com extrato de laranja, ¾ de colher de chá com noz moscada. Misture peneirando 1 colher de chá de fermento, duas xícaras de chá de farinha de trigo. Bata na batedeira até virar uma massa. Leve ao forno até ficar douradinho. Coma quente.

a quente.

efeitos:

Reações da maconha:

Logo que fumada, a droga passa imediatamente para a corrente sangüínea.Atingindo os centros cerebrais em poucos minutos.Após usar a maconha , algumas pessoas sentem-se abobalhadas, sonhadoras, relaxadas, falantes, confusas, deprimidas, ansiosas ou com riso descontrolado.
Entre os efeitos químicos da maconha estão o aumento do ritmo cardíaco, os olhos avermelhados, os danos pulmonares e a garganta ou a boca seca . Há também alteração da percepção do tempo, redução da memória, perda da concentração e danos à coordenação motora.
Com o uso intenso,ocorrem mudanças na forma da pessoa pensar, aprender e se comportar,além da interferência em diversas atividades cerebrais importantes, causando oscilações de ânimo e diminuindo a motivação, bloqueando a memória, dificultando o aprendizado e a tomada de decisões podendo também diminuir a fertilidade.
Uma reação ruim muito comum é a "reação aguda de pânico", descrita como um grande medo de ter perdido o controle. Usuários habituais de maconha descrevem ter dependência psicológica e dificuldades em limitar o seu uso por causa da tolerância que se desenvolve rapidamente.
Estudos comprovam que o uso prolongado afeta a memória imediata e a concentração.
A maconha dá fome e vontade de comer doces. É a famosa "larica" (fome danada!).
A maconha pode causar canser,pois a planta da maconha possui substâncias cancerígenas (como o benzopireno).
Causa infertilidade,pois é grande a ação da maconha sobre a mortalidade e a vitalidade dos espermatozóides. Por isso, o uso da maconha reduz temporariamente a capacidade reprodutiva do homem. Mas, ao para de fumar, a situação é revertida.

Efeitos da maconha:

- Aumento da frequência cardíaca;
- Olhos vermelhos;
- Boca seca;
- Desinibição;
- Distorção do tempo e do espaço;
- Alucinações, com aumento dos sentidos, tais como olfato, tato e gosto, dependendo do tipo de personalidade do usuário;
- Vontade de rir;
- conjuntivas injetadas;
- apetite aumentado;
- boca seca;
- taquicardia.

Maconha, erva, marijuana, hemp, ganja, são nomes comuns da planta Cannabis sativa cujos efeitos euforizantes são conhecidos a milhares de anos. A planta é um arbusto com até 3 metros de altura, de folhas características, que normalmente é cortada, secada, curtida, picada e enrolada na forma de cigarros ( os baseados). As formas mais potente da maconha vêm da inflorescência e folhas superiores da planta ou do exsudato seco, marron-escuro e resinoso das folhas, conhecido como haxixe.

Historicamente a maconha tem sido usada como analgésico, anticonvulsivante, hipnótico e , principalmente, como euforizante. Recentemente tem havido interesse no uso da droga no tratamento do glaucoma e de náuseas produzidas pela quimioterapia do tratamento de câncer.

Epidemiologia:

A maconha é uma das mais antigas e das mais usadas drogas psico modificadoras no mundo É a substância ilícita usada com maior freqüência nos Estados Unidos. Pelo menos um terço da população americana relata o uso da maconha pelo menos uma vez na vida. O consumo teve um aumento muito grande a partir dos anos sessenta, passou por um período de reversão na tendência de aumento de consumo e, atualmente parece haver uma volta ao crescimento do seu consumo entre a população mais jovem.

Neurofarmacologia:

O principal componente ativo da maconha é o tetrahidrocanabinol (THC) e seus isômeros. Um receptor específico para o THC foi identificado clonado e caracterizado. Este receptor é uma proteína G inibidora e é encontrado em maiores concentrações nos gânglios da base, hipocampo e cerebelo. Quando fumada os efeitos euforizantes da Cannabis aparecem em minutos, alcançando um pico em 30 minutos e durando de duas a quatro horas. A Cannabis ingerida oralmente ( como bolo ou biscoitos) demora mais a produzir efeitos, porém estes permanecem por mais tempo.

Diagnóstico e características clínicas:

Os efeitos mais comuns da maconha são a dilatação dos vasos sangüíneos da conjuntiva (olhos vermelhos); leve taquicardia; aumento de apetite ("larica") e a boca seca.

Os critérios diagnósticos definidos pelo DSM-IV para a intoxicação com Cannabis são:

1 Uso recente de Cannabis;

2 Alterações comportamentais ou psicológicas mal-adaptativas e clinicamente significativas ( por ex., comprometimento na coordenação, euforia, ansiedade, sensação de lentificação do tempo, comprometimento do julgamento, retraimento social) que se desenvolvem durante ou logo após o uso de Cannabis.

3 Dois ou mais dos seguintes sinais, desenvolvendo-se no período de duas horas após o uso de Cannabis.


4 Os sintomas não se devem a uma condição médica geral nem são melhor explicados por outro transtorno mental.


A intoxicação por maconha aumenta a sensibilidade a estímulos externos, principalmente cores, sons e estímulos táteis, isto é, revela detalhes que seriam normalmente desconsiderados, torna as cores mais fortes e brilhantes e aumenta a capacidade de apreciação de artes e música. Os usuários normalmente relatam uma clareza de pensamentos e idéias, mas a intoxicação normalmente induz à letargia e, consequentemente a não colocação em prática dessas idéias. O usuário é um planejador e não um realizador.
Temas controversos ligados ao consumo da Maconha:

- Ansiedade, paranóia e pânico.
- Dependência, abstinência e tolerância.
- Agressividade
- Efeitos sexuais
- Delirium e psicose induzidos pela maconha;
- Efeitos debilitantes físicos e mentais;
- Declínio moral ou mental;
- Síndrome amotivacional

Usos terapêuticos:

Foi encontrado uma diminuição da pressão intra-ocular após o uso da maconha, o que pode sugerir seu uso no tratamento do glaucoma. A maconha também pode provocar a diminuição das náuseas e vômitos associados ao tratamento quimioterápico de câncer. Outros usos seriam como analgésico e anticonvulsivante. Em todos os casos a droga ainda tem de provar que seu uso tem alguma vantagem terapêutica sobre as outras drogas comumente usadas para o mesmo fim.

Tratamento:

O tratamento de usuários raramente é necessário. Quando preciso pode-se administrar um benzodiazepínico. Acalmar e retornar a confiança ao paciente durante uma crise costuma ser o único acompanhamento necessário.

O pior problema da maconha pode ser o relacionamento de seu uso com condições de pobreza e miséria, com o tráfico e o crime associado e com o uso concomitante de outras drogas como o álcool, a cocaína, etc.

Insira o conteúdo aqui

Insira o conteúdo aqui

Insira o conteúdo de apoio aqui